Ao adotar a ISO 50.001 as empresas tem um reconhecimento internacional dos seus programas corporativos de sustentabilidade, das suas iniciativas para redução de custo com energia, da gestão de demanda na cadeia de suprimento e  da sua participação em acordos climáticos de redução de carbono, entre outros benefícios.

É o que a empresa BASF vem buscando fazer, onde implementou  as medidas estabelecidas pelo ISO 50.001 buscando aumentar a competitividade da empresa por meio de uma maior eficiência energética e da melhoria dos custos de energia.

Com esse objetivo, a BASF quer implementar a ação de gestão de energia intitulada Triple E (Excellence in Energy Efficiency), lançado em dezembro de 2015, na América do Sul.

O projeto está alinhado ao conceito global de excelência na gestão de energia da BASF, além de contribuir para as metas ambientais da empresa. A iniciativa será implantada em algumas das fábricas do grupo BASF na região, priorizando as que apresentam maior consumo de energia primária.

“O primeiro passo para a concepção do Triple E foi a criação de um time multifuncional para gestão das ações, que tem como missão avaliar oportunidades e fomentar melhorias nas práticas para a gestão de energia nos processos. Entre as medidas a serem adotadas, está a norma internacional ISO 50001, que auxilia as empresas a estabelecer práticas mais eficientes e modernas no uso desse recurso”, explica Patrick Silva, Diretor de Infraestrutura da BASF para América do Sul e do Complexo Químico de Guaratinguetá.

“Já há projetos em andamento dirigidos para a redução do consumo de energia em nossas operações. Além disso, estamos realizando benchmarks com empresas do setor e capacitando nossos colaboradores em relação à ISO 50001, com o intuito de obter os melhores resultados de nossos esforços”, ressalta.

Todo o processo está sendo realizado com o apoio de um grupo de estudos de eficiência energética da UNESP (Universidade Estadual Paulista). “Essa parceria tem um papel fundamental no processo, pois, por meio desse apoio técnico-científico, temos suporte na análise, desenvolvimento e implementação das ações de eficiência energética em nossos processos”, completa.

Outro ponto importante do projeto é a sensibilização dos colaboradores quanto à necessidade de redução do consumo de energia, tanto no ambiente fabril como doméstico. “Sem dúvida, o maior potencial de aumento da eficiência energética virá de soluções técnicas. No entanto, a redução do consumo de energia também depende da conscientização e esforço de todos os colaboradores”, conclui Patrick.

fonte: www.maxpressnet.com.br

Recomendamos assistir aos webinars sobre ISO 50.001 e Gestão de Energia disponíveis no site do Leonardo Energy:

http://leonardo-energy.org.br/wpdm-package/iso-50001-gestao-da-energia-parte-1/

http://leonardo-energy.org.br/wpdm-package/iso-50001-gestao-da-energia-parte-2/

Compartilhe