Apesar de ter sido lançada há 5 anos, a certificação ISO 50.001, norma de gestão de energia, somente começou  a ganhar forma no Brasil, recentemente. No final de 2015, quase 30 empresas haviam obtido a certificação no país, além da manifestação de diversas outras organizações do setor industrial interessadas, em adotar a norma.

imgPor ter como objetivo estabelecer sistemas e processos que melhorem o desempenho energético das empresas, incluindo eficiência, uso e consumo de energia, os principais impactos esperados pela adoção dessa norma por parte das organizações é aumentar a disponibilidade de energia, melhorar a produtividade e competitividade das empresas, promover a redução das emissões de gases de efeito estufa, entre outros impactos ambientais positivos.

Uma das primeiras empresas a receber a certificação no setor eletroeletrônico no Brasil foi a WEG. No ano do lançamento da norma, em 2011, a empresa implantou o sistema de gestão de energia de forma piloto em uma das fábricas de motores elétricos do parque fabril em Jaraguá do Sul (SC), com ações para melhorar o desempenho energético da fábrica a partir da definição de uma política energética, estabelecimento de objetivos e metas de redução de consumo e adoção de ações de melhoria.

Já no setor automobilístico, a A primeira montadora brasileira a obter a certificação relativa à gestão de energia – ISO 50001 – foi a Fábrica da FIAT em Betim-MG.  A empresa informa que a planta de Betim, a maior da Fiat Chrysler no mundo, utiliza como fontes de energia a eletricidade, ar comprimido, vapor, água superaquecida, gás natural e combustíveis. Atualmente, 99% da energia elétrica usada vem de fontes renováveis (predominantemente hidráulica), incluindo os painéis solares fotovoltaicos instalados na fábrica, capazes de gerar 19,5 mil kW/ano.

Fonte: www.abesco.com.br ; http://www.sgsgroup.com.br/ e www.weg.net

Compartilhe