Em 04 de maio de 2017, o PROCOBRE (Instituto Brasileiro do Cobre) em parceria com a ABRACOPEL (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade) apresentou os resultados da pesquisa Raio X das Instalações Elétricas , durante um evento realizado no Auditório da ABINEE, em São Paulo.

A pesquisa mostrou que dentre as 999 residências verificadas, muitas possuem sérios problemas com a instalação elétrica, dentre eles:

  • 45% não possuem projeto elétrico
  • 35% ainda adotam o padrão de tomada antigo
  • 46% nunca fizeram a revisão da instalação elétrica

Na ocasião, foi apresentado também o “Anuário Estatístico Brasileiro dos Acidentes de Origem Elétrica”, onde constam dados sobre acidentes ocorridos entre 2013 e 2016, bem como o perfil desses incidentes.

A maior parte dos acidentes elétricos ocorrem devido a utilização errônea das instalações elétricas bem como a negligência de seus usuários. Segundo Antônio Maschietto, diretor-adjunto do Procobre, “Observamos que houve uma melhora na qualidade das instalações; no entanto, 15 anos se passaram desde o último levantamento, então, era de se esperar uma melhora. Só não podemos aguardar mais 15 anos, para que realmente não tenhamos mais incidentes com a eletricidade”,

Choques-elétricos: matam tanto quanto o vírus da dengue

Segundo dados do Anuário, entre janeiro de 2016 e março de 2017, o Brasil registrou 782 mortes relacionadas à eletricidade (choque, incêndios por curto-circuito, raios). Se analisarmos, esse número representa uma média de 2 mortes por dia nesse período. E ainda desse total, 236 mortes ocorreram dentro de casa.

Segundo Edson Martinho, fundador da Abracopel, “Os acidentes normalmente são causados pelo desconhecimento ou descaso das pessoas, pois o usuário não sabe que uma descarga de 50V, por exemplo, pode ser fatal” e ainda acrescenta que é preciso trabalhar muito para mudar esse cenário de tragédias. Os números mencionados são de estudos feitos até o ano de 2016.

Mas e o ano de 2017? Será que vamos conseguir reverter este quadro?

Infelizmente, até o momento, não temos números muito positivos pois, só no primeiro trimestre, já foram contabilizados 394 acidentes; 212 incidentes foram fatais, 190 mortes por choque elétrico, 7 mortes por incêndio e 15 mortes devido a descargas atmosféricas.

A força da imprensa na conscientização da população

É preciso que os cidadãos brasileiros população se conscientizem dos perigos que as instalações elétrics oferecem, pois o choquinho de hoje pode virar o chocão de amanhã. E antes de aprender pela dor, é melhor aprender pelo amor.

Conheça a repercussão do assunto em algumas mídias do Brasil: Matéria BAND TV ; Portal R7 ; Site Cenário MT ;Site Folha Nobre (Rondônia)

Lembre-se: você é responsável pela sua própria segurança

 

Compartilhe